Moeda estrangeira: o que você precisa saber sobre o câmbio

Entre as dúvidas do viajante no momento de planejar uma viagem, a compra do dinheiro está entre as primeiras, logo no topo. Para quem não entende sobre as cotações de dinheiro, as oscilações de câmbio podem ser algo parecido com um filme de terror. Como comprar? Onde? Quando? São tantas perguntas que a sua vontade é de deixar isso para lá, mas não pode: esse é o ponto principal da sua viagem! E para te ajudar, preparamos esse post com tudo o que você precisa saber sobre o câmbio antes de trocar o seu dinheiro.

Diferença entre dólar comercial e dólar turismo

Se você está com viagem marcada e andou pesquisando por dólar atualmente, você esbarrou com as expressões “dólar comercial” e “dólar turismo” e possivelmente ficou confuso. Afinal, qual a diferença? Toda a diferença está na finalidade em que o dinheiro é aplicado e quem está usando-o, e, claro, sua cotação.

O dólar comercial, por exemplo, como o próprio nome propõe, é o dinheiro que movimenta o comércio, as importações e exportações de mercadorias e a movimentação de grandes empresas. O dólar utilizado pelo viajante, no entanto, é o dólar turismo, e a cotação, que geralmente é mais cara que a do dólar comercial, é a que você deverá se preocupar. Ele é usado para gastos em estabelecimentos e em cartões de créditos.

Onde comprar?

São apenas as instituições autorizadas pelo Banco Central do Brasil que possuem o direito de operar com câmbio. Outros dois locais seguros para trocar seu dinheiro são nas agências de viagens e nos aeroportos. É importante assegurar de que o local seja totalmente seguro para que não ocorra a compra de “dólar paralelo”, um dólar vendido de forma clandestina e que não pode ser provado legalmente depois, caso seja necessário. Para que isso não ocorra, uma dica é pesquisar a lista de instituições autorizadas que operam com câmbio no site do Banco Central do Brasil.

Bancos: as instituições bancárias realizam troca de moedas de todo o mundo, entretanto, é preciso confirmar a disponibilidade do valor no momento da compra. Por isso, é importante que você entre em contato com antecedência com a empresa para fazer a reserva.

Agências de viagens: é o método mais utilizado na troca de dinheiro e funcionam exatamente como os bancos. É necessário a verificação de disponibilidade, principalmente em caso de valores altos.

Aeroportos: os aeroportos possuem balcões de câmbio para a troca de moedas estrangeiras, no entanto, é a menos recomendada em todos esses casos, uma vez que a taxa de conversão é bastante elevada, principalmente se compararmos com os bancos e as agências.

Taxas e impostos

A compra nas instituições autorizadas pelo Banco Central do Brasil podem ficar um pouco mais caras, pois junto ao valor do dinheiro você pagará taxas e impostos obrigatórios. No entanto, não lamente! É desta forma que você poderá assegurar que trocou seu dinheiro legalmente.

IOF: é o Imposto sobre Operações Financeiras. O IOF estará presente em toda e qualquer operação de câmbio e o valor de 1.1% sobre o dinheiro. Isso quer dizer que na compra de qualquer papel moeda você pagará 1.1% de imposto sobre o valor total.

Spread: é variável de uma instituição para outra e é a diferença entre a taxa comercial do câmbio e a taxa cobrada pela casa que está vendendo-o.

Contrato câmbio

O contrato de câmbio serve como um comprovante da compra ou venda da moeda e é indispensável sua solicitação no momento da troca. Ele pode ser solicitado na imigração para comprovar de onde vem o seu dinheiro e o valor total do mesmo. O contrato deve ser, inclusive, tratado como um documento e guardado bem, pois serve para o caso de você receber notas falsas.

Oscilações de câmbio

Lembre-se que o câmbio vive em oscilações todos os dias e um dia que você achou que estava ótimo, no dia seguinte pode estar melhor. Para evitar surpresas desagradáveis, não troque todo o seu dinheiro de uma vez. Verifique as cotações diariamente e troque aos poucos, assim, você não correrá o risco de perder um dia com um valor ótimo depois de já ter trocado tudo.

Limite para compra

Não existe limite para compra de dinheiro estrangeiro no Brasil, no entanto, para trocas acima de R$ 10.000,000 (dez mil reais), alguns procedimentos devem ser tomados: o viajante precisa preencher a Declaração Eletrônica de bens de Viajantes, no site da Receita Federal e apresentar seus documentos juntamente com o contrato de câmbio no aeroporto. 

Como levar seu dinheiro em segurança

Para levar seu dinheiro em segurança durante a sua viagem, a recomendação é o uso da doleira ou porta dólar, semelhante a uma pochete, entretanto, mais maleável, feita para ser utilizada na parte interna da calça. É recomendada por ser uma forma segura de levar uma quantia grande de dinheiro sem precisar tirá-lo de perto de você. Caso esteja viajando com mais pessoas, opte por dividir o dinheiro em maiores quantidades de doleiras para prevenir contra furtos e perdas.

2 comentários em “Moeda estrangeira: o que você precisa saber sobre o câmbio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Passagens 30% OFF confira
Ida e Volta
Somente Ida
De:
Para:
Ida:
Volta:
Passageiros:
Adultos
+ de 12 anos
Crianças
2 a 11 anos
Bebês
- de 24 meses